quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Curti: Livro- E não sobrou nenhum



Oi, oii! Tudo bom com vocês?


"Uma ilha misteriosa, um poema infantil, dez soldadinhos de porcelana e muito suspense são ingredientes com que Agatha Christie constrói seu romance mais importante"


Eleito o melhor romance policial de todos os tempos, "E não sobrou nenhum", foi escrito em 1939, pela minha autora favorita (falei sobre isso aqui), Agatha Christie. Pra quem ainda não sabe, gosto muito de livros assim e os que ela escreve são maravilhosos. Uma das coisas mais difíceis de fazer, é descobrir quem foi o assassino (rsrs). Sério, ler os livros de autoria dela, as vezes me deixa sem fôlego (kkk).

Dez pessoas foram convidadas pelo misterioso e milionário Mr. Owen, para supostamente passarem dias de descanso em uma casa, localizada na Ilha do Soldado. Nenhum deles sabem exatamente porque foram convidados e nem quem exatamente é Mr. Owen. Eles são surpreendidos quando fatos marcantes de suas vidas, são expostos de maneira inesperada. Tornando cada um deles suspeitos, culpados e ao mesmo tempo vítimas. Neste momento, diversos assassinatos começam acontecer e para piorar, uma tempestade forte atrapalha a comunicação deles com o continente. E, então diversas indagações começam a aparecer, não somente entre os personagens, mas também para nós leitores.


Três personagens no livro, ficaram na minha cabeça, do início ao fim da leitura, mas é tão difícil descobrir quem é o assassino, que mesmo quando cheguei na página 384 de um livro composto por 400, ainda estava com dúvidas de quem tinha cometido todos aqueles crimes. Essa é a 4ª edição (2014) e meu irmão o comprou, por indicação minha, no início de 2015. Ele leu, gostou muito e me emprestou, comecei a ler somente no mês passado (kkk), mas deveria ter feito isso antes. É incrível o modo como a autora descreve cada cena do crime e o fato de uma canção infantil se transformar em algo tão tenebroso, pois toda vez que alguém morre, ela é comentada/cantada por alguém. O li em 26 dias e todos os dias que o abria, era a maior viagem, rolou muita pressão psicológica e depois que fechava o livro ficava sempre gritando em pensamento "QUEM É ESSE ASSASSINO?" (kkk). Quando acabou, fiquei com um gostinho de quero mais.

"Dez soldadinhos saem pra jantar,
a fome os move;
um engasgou, e então sobraram nove."

Espero que tenham gostado. Se alguém aí já leu ou ler, fala o que achou aqui nos comentários.
Beijos. <3

Nenhum comentário:

Postar um comentário